Acompanhe as novidades

Conheça as principais diferenças entre lipoescultura e lipoaspiração

Publicado em 11/02/2021 Conheça as principais diferenças entre lipoescultura e lipoaspiração

De acordo com a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, procedimentos que envolvem a remoção de gordura localizada em excesso se trata de uma das principais intervenções cirúrgicas de caráter estético realizadas no Brasil. Apesar disso, ainda é comum que muitos pacientes apresentem inúmeras dúvidas em relação às diferenças entre lipoescultura e lipoaspiração.


Embora estes termos estejam associados e representem técnicas semelhantes, suas indicações são distintas para diferentes casos e, portanto, apresentam também resultados diferentes, conforme a necessidade de cada paciente. Pensando nisso, no post de hoje vamos mostrá-los essas diferenças e tirar algumas das principais dúvidas sobre este tema. Acompanhe!


Afinal, quais as diferenças entre lipoaspiração e lipoescultura?

Em via de regra, a lipoaspiração é um tipo de técnica cirúrgica indicada para remoção de gordura localizada, geralmente depositada em regiões como o abdômen, flancos e quadris. Nesse caso, a retirada dos tecidos gordurosos se dá através de cânulas que conduzem a sucção dos tecidos, dando uma nova aparência para o corpo.


Por outro lado, a lipoescultura consiste na aplicação do próprio tecido extraído do paciente, com o intuito de dar novo contorno à determinadas áreas, ou seja, tem por objetivo melhorar o volume de partes como as coxas, glúteos ou para preencher os sulcos e vincos da face. Portanto, a lipoescultura é a sequência da lipoaspiração, já que nela são adotados outros procedimentos que não são comuns na lipo convencional.


Quais os objetivos e quando estes procedimentos são indicados?

Como já destacamos, ambas cirurgias têm como foco a promoção de um novo contorno corporal em caráter puramente estético — na maioria dos casos. Entretanto, é preciso chamar a atenção para questões como o emagrecimento, já que muitas pessoas acreditam que as duas cirurgias podem ajudá-las a chegar no peso ideal.


Na verdade, este é um mito muito difundido entre as mulheres. Portanto, tanto a lipoaspiração quanto a lipoescultura não devem substituir a prática de atividades físicas regulares ou mesmo a adoção de uma dieta mais equilibrada.


Nesse contexto, os procedimentos são mais indicados para pessoas que:


● cumprem todos os requisitos clínicos previamente estabelecidos;
● estejam dentro de uma faixa de peso próxima ao ideal;
● apresentam boa elasticidade da pele;
● adotam uma rotina de exercícios e alimentação equilibrada;
● e, em alguns casos, podem ser recomendadas também para pacientes que não obtiveram sucesso apenas com dietas e exercícios.


Como são realizados os procedimentos cirúrgicos?

Agora que você já conhece as características, diferenças e principais indicações sobre cada tipo de cirurgia, chegou a hora de entender como ela de fato é aplicada para cada caso. Para tanto, basta continuar sua leitura, pois a seguir apresentaremos alguns tópicos gerais sobre elas de maneira simplificada.


Fase 1: anestesia

Com o paciente ainda acordado, o primeiro passo é a preparação para a cirurgia, ou seja, será feita a assepsia da pele, bem como a demarcação pré-cirúrgica que conduzirá o cirurgião durante o procedimento. Em seguida, o médico responsável iniciará a introdução da anestesia que pode ser de 3 tipos: geral, raquidiana ou peridural.


O fator determinante para a estratégia escolhida é a extensão da área a ser tratada. Portanto, além da aplicação das drogas anestésicas, pode ser necessária a ministração de soro com adrenalina para que eventuais sangramentos sejam minimizados durante o procedimento.


Fase 2: remoção do tecido adiposo

Neste momento, são realizadas pequenas incisões para permitir a passagem da cânula que será responsável por sugar a gordura através de um aparelho de vácuo. Com isso, a extração da gordura em excesso é um passo comum para ambos os procedimentos. Caso se trate apenas da lipoaspiração convencional, ao finalizar a técnica, o paciente estará pronto para iniciar sua recuperação.


Fase 3: enxerto de gordura

No caso da lipoescultura, a cirurgia se estende para mais uma etapa, que é o enxerto de gordura. Para tanto, o tecido extraído na lipoaspiração deve passar por um processo de tratamento que consiste na remoção de resíduos anestésicos, sangue e células adiposas que estejam comprometidas. 


Após esse processo de “purificação” da gordura, ela já pode ser inserida novamente no corpo do paciente, através de agulhas ultrafinas em regiões específicas da área que será tratada.


Vale destacar que tanto o tempo de duração para a lipoaspiração quanto para lipoescultura variam de acordo com o tamanho da área que será tratada. Mas, no geral, as duas técnicas têm uma duração média de 3 ou 4 horas.

 

Os procedimentos são realmente seguros?

Quando realizadas por um profissional experiente e qualificado, os procedimentos são extremamente seguros e o paciente tem uma recuperação razoavelmente rápida e tranquila. Entretanto, é preciso observar também alguns cuidados, como trabalhar dentro dos limites de gordura que podem ser aspirados sem colocar em risco a saúde do paciente.


Outro detalhe que deve ser observado, além da qualificação da equipe cirúrgica, é o ambiente na qual o procedimento será conduzido. Para evitar intercorrências mais graves em razão de eventuais complicações, recomenda-se que o ambiente hospitalar seja preparado para intervir sempre que necessário.


Por fim, reforçamos a recomendação de procurar sempre um cirurgião plástico da sua confiança, que tenha boas avaliações e, se possível, seja recomendado por algum amigo ou parente próximo. Assim, procurar por especialistas devidamente credenciados como membros da Sociedade de Cirurgia Plástica é um critério que lhe dará mais segurança durante o processo, bem como resultados mais eficientes.


Ademais, é preciso ficar atento também às contraindicações do procedimento. Isso porque, como qualquer outra cirurgia, nem todos os pacientes interessados estão habilitados a passar por esse tipo de intervenção estética. Nesse sentido, o risco cirúrgico tende a ser maior para pacientes que apresentam algumas comorbidades, principalmente aquelas relacionadas a:


● obesidade;
● diabetes;
● hipertensão arterial;
● tendências ao desenvolvimento de trombose;
● transtornos psicológicos e/ou emocionais;
● infecções
● câncer, etc.


Quando é possível ver os primeiros resultados?

Em linhas gerais, os resultados tendem a ser visíveis tão logo a cirurgia seja finalizada. Entretanto, é muito comum que após o procedimento a região tratada apresente edemas e esteja bastante dolorida. Com isso, é natural que o paciente apenas seja capaz de notas mais claramente os primeiros resultados entre 3 e 4 semanas após ambas as cirurgias.


Concluindo, neste conteúdo procuramos esclarecer algumas das dúvidas mais comuns em relação às diferenças entre lipoescultura e lipoaspiração. Como você pode perceber, estas são técnicas que visam garantir uma melhor harmonização do corpo, portanto, tem caráter puramente estético e é indicado apenas para indivíduos que não obtêm bons resultados através de exercícios e uma boa alimentação.


E então, leitor. O que achou de conhecer mais sobre as principais características de cada cirurgia? Agora que você já sabe como pode ser tranquila a recuperação, o que acha de fazer uma avaliação? Basta entrar em contato conosco e agendar uma consulta para identificarmos quais destas técnicas são mais indicadas para você!

Assine nossa Newsletter

Receba nossas novidades e mantenha-se informado.

Solicite uma ligação
e tire suas dúvidas
Fale com um de nossos atendentes ou, se preferir, nós ligamos para você.